sexta-feira, 19 de setembro de 2008

História da Bandeira




A Bandeira da Coréia do Sul possui um simbolismo extremamente marcante. No seu centro há um círculo dividido em vermelho vivo (em cima) e azul (em baixo) num campo em branco.
Tanto o círculo como os quatro desenhos em preto nos cantos são ricos em significado. Representado na bandeira vê-se um círculo dividido em partes iguais e delineado em perfeito equilíbrio, representando o Absoluto, ou a unidade essencial de todo um ser.
As divisões representam na parte superior (vermelho) o "Yang" e a inferior (azul) o "Ying" antigo símbolo do universo originário da China.
Esses dois opostos expressam o dualismo do cosmo, a eterna dualidade: fogo e água; dia e noite; escuridão e luz; construção e destruição; macho e fêmea; ativo e passivo; calor e frio; mais e menos; o ser e o não-ser; a vida e a morte; etc.
A presença da dualidade dentro do Absoluto indica o paradoxo da vida e a impossibilidade de aprendê-la integralmente.
As combinações de barras representam os quatro pontos cardeais e os quatro mares que limitam o globo.
As três barras em cada canto dão a noção de equilíbrio e posição.
As três linhas inteiras representam o céu
As três linhas quebradas do lado oposto representam a terra
Na extremidade inferior esquerda da bandeira, há duas linhas inteiras com uma partida no meio. Isso simboliza o fogo
Do lado contrário o símbolo da água
Apesar de as barras serem apenas de dois tipos, mesmo assim podem ser dispostas de diferentes maneiras - das quais os grupos de barras da bandeira representam apenas exemplos que indicam a diversidade que advém da simplicidade fundamental.

Um comentário:

Juca dos Santos disse...

Achei muito interessante! As linhas quebradas e as linhas inteiras deram origem aos números binários. Sem eles não existiriam os computadores (ou pelos menos não seriam iguais aos que nós utilizamos).